quinta-feira, 13 de março de 2014

Você deseja crescer?


Você deseja crescer?  
Porque o judeu Mardoqueu foi o segundo depois do rei Assuero, e grande para com os judeus, e agradável para com a multidão de seus irmãos, procurando o bem do seu povo e trabalhando pela prosperidade de toda a sua nação. Ester 10.3

Do anonimato, Mardoqueu se tornou o terceiro homem em autoridade no gigantesco Império Persa. Se não fosse a sua fé em Deus, ele teria sido mais um que passara pela vida e não fizera nada de importante. O que nos diferencia, destaca e nos faz aparecer é o nosso amor ao Senhor e à Sua Palavra. Ao sermos rejeitados pela sociedade, isso significa que somos de Deus, pois o mundo sempre odiará aquele que faz a vontade do Altíssimo.
O Altíssimo tem um propósito em tudo o que acontece com aqueles que são dEle. Não importa se, hoje, você tem sido abandonado, discriminado e humilhado. Isso já ocorreu e ocorre com os nossos irmãos pelo mundo; no entanto, para nós, serve de sinal de que somos de Deus e incomodamos Satanás, e também de lição que jamais devemos rejeitar. O Senhor sabe que precisaremos dos ensinamentos dEle muito em breve.
Após ter sido investido de tão grande autoridade, Mardoqueu mostrou que, realmente, era do Senhor, não se esquecendo do seu povo. É comum vermos maus políticos abraçando os eleitores na época da campanha eleitoral; porém, depois de terem sido eleitos, escondem-se de quem lhes deu o mandato. Já aqueles que, de fato, são servos do Altíssimo sabem que foram eleitos para representar o povo e, por isso, estão sempre em contato com quem os elegeu.
A Palavra diz que Mardoqueu também foi agradável para com a multidão dos seus irmãos. Ora, não há outra maneira de sermos em relação aos nossos irmãos, a não ser agradáveis. Sendo eleitos ou não, devemos ser gentis para com todos e, principalmente, para com os da família da fé. Em muitos casos, os irmãos em Cristo nos acolherão e nos darão toda a assistência. A Bíblia declara que quem não ama o seu irmão que vê não amará o Senhor que não vê (1 Jo 4.20).
Não importam seus projetos pessoais ou familiares, o homem de bem sempre procura o melhor para as pessoas e, por isso, é reconhecido como amigo do povo. Contudo, conhecemos indivíduos simpáticos e alegres, os quais aparentam ser amigos de todos, mas não têm uma boa conduta, gostam de corrupção e só se candidatam para se locupletar à custa do erário público. Gente desse tipo não merece o seu voto.
Mardoqueu, no entanto, trabalhava para a prosperidade de toda a nação. Assim devem proceder os cidadãos de bem. Se a nação prosperar, todos prosperarão e usufruirão dessa riqueza. Ora, quando não há recursos a serem aplicados, as ruas ficam esburacadas, os bueiros não são limpos, faltam policiais para dar segurança, os hospitais carecem dos bons profissionais da saúde, dentre outros problemas. Na verdade, todos nós temos obrigação de fazer o bem.
Ao mostrar o que foi feito a Mardoqueu, o Senhor está nos ensinando que jamais temos de nos insurgir contra as orientações divinas. A fidelidade desse judeu fez com que Hamã, o homem de malignos planos contra o povo de Deus, pagasse o preço da sua maldade.
Em Cristo, com amor,
R. R. Soares

Anterior Próxima

quarta-feira, 12 de março de 2014

Servos da corrupção



"Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo." 2 Pedro 2.19


As pessoas que servem ao diabo têm o espírito desse ser vil dentro de si e, por isso, não conseguirão ajudar ninguém ainda que queiram. A luta pela sobrevivência para aqueles que não têm a fé em Jesus não é fácil, pois as doenças, os problemas com gente desequilibrada e mal-intencionada, além das pressões do inimigo, quase os fazem desanimar. No entanto, os oprimidos ou possuídos pelas forças das trevas têm uma luta infinitamente maior.

Aqueles que são do Altíssimo têm o Espírito Santo (Jo 14.26) e, mesmo quando são levados à fronteira do pecado, na hora de consumar o ato, dão meia-volta e, arrependidos, entram na presença divina e choram, pedindo misericórdia. Só por esse aspecto, não é possível entender como alguns não procuram o Senhor para se livrar das maldades que estão por toda parte. Não há nada pior do que uma dor de consciência por ter feito mal a alguém.

Diante de uma situação triste, essas pessoas podem lembrar-se dos bons dias em que foram usadas por Deus e tentar oferecer algum auxílio, mas não conseguirão, pois, como estão em pecado, o Pai não poderá usá-las. Por sua vez, Satanás fará de tudo para impedir que essas vidas não sejam usadas contra ele. Como sofre aquele que conhece a Verdade, mas nada pode fazer. O sentimento de impotência em quem já foi estrela na mão do Altíssimo é muito doloroso.

Os servos da corrupção somente conseguirão ajudar alguém se tiverem coragem de ir ao Senhor para se acertarem com Ele. Ao pedirem perdão pelos erros cometidos e deixarem o caminho mau, poderão voltar a ser instrumentos nas mãos do Altíssimo. Quem procura auxílio em um cristão que está em pecado perde seu tempo. Você nota que uma pessoa voltou a ser usada por Deus quando ela não pede nem insinua que, de algum modo, deveria ser recompensada por alguma realização.

A vida dos que abandonaram o Pai celestial é muito triste e sofrida. Nada dá certo para eles, estão sempre fracassando em tudo. Não há portas que consigam impedir a entrada dos demônios no lar dessas pessoas e, por fim, quando chegar o tempo da sua partida, esta se dará em meio à grande dor. O mais triste é que caminharão para a perdição eterna junto à multidão que recusou a salvação (Mt 13.42). Triste fim!

Muitos voltaram a ser servos do inimigo, e outros estão a caminho de também servirem a Satanás. Eles poderiam continuar servindo Àquele que jamais abandona os Seus servos fiéis (Sl 37.28), mas preferem andar no erro. Em vez do abraço amoroso do Senhor, eles terão o ódio da antiga serpente. Quem se desvia perde a dignidade e sofre a destruição em sua vida e na de seus familiares, sem nada poder fazer.

Examine como você tem vivido. Não deixe o mentiroso enganá-lo mais (Jo 8.44c). Tome a mais nobre decisão, distanciando-se do inimigo. Passe a ser uma pessoa de bem, um servo da divina justiça. Deixe os planos do Onipotente se cumprirem em você e, desse modo, você não só se realizará cumprindo a vontade divina, como também jamais estará sob o governo do mentiroso.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores