sexta-feira, 3 de agosto de 2012

O coração do nosso Deus



Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. Isaías 55.7

O Senhor é sempre bom. Ele nunca age como o homem, que, muitas vezes, deseja o pior para quem fez algo ruim; ao contrário, espera pacientemente pelo regresso até mesmo de quem preferiu virar-Lhe às costas, pois sabe o quanto essa pessoa já está sofrendo aqui e, depois da morte, sofrerá por toda a eternidade. Por isso, Ele nos ordena que preguemos o Evangelho, a tempo e fora de tempo, a toda criatura (2 Tm 4.2).

Cristo já pagou um alto preço para nos resgatar das mãos do diabo. Da parte dEle, nada mais precisa ser feito para resgatar os que loucamente caminham para a perdição. Todos os que desejam a salvação eterna devem tão somente confessar com a boca que Jesus é seu Salvador, crendo nisso de coração, para que sejam salvos (1 Jo 4.15). A paciência divina espera que todos façam isso.

O ímpio é aquele que já foi salvo, mas, tendo desprezado o dom celeste, agora age como se não conhecesse a Verdade. Certa doutrina afirma que, uma vez salvo, salvo para sempre, mas isso é mentira. Ora, o Mestre declarou que somente os que perseverarem até o fim alcançarão a salvação (Mc 13.13). Portanto, se você já se iludiu com essa história, abra seus olhos enquanto há tempo e não aceite nada que contradiga a Palavra de Deus.

A pessoa maligna só pensa em si própria e, para conseguir seus objetivos, não se importa se prejudicar alguém. Por ser egoísta por excelência, ela se inclui no rol de pessoas que não herdarão o Reino de Deus: os devassos, idólatras, adúlteros, efeminados, sodomitas, ladrões, avarentos, bêbados, maldizentes e roubadores (1 Co 6.10). Caso você faça parte dessa listagem, acerte-se logo com Deus.

O escape para fugir do sofrimento eterno é a conversão – mudança de direção. Ainda que alguém tenha poucos defeitos, se ele não se converter, perecerá como o mais perverso dos homens. Não há meio-termo; ou a pessoa nasce de novo, passando a cumprir a Palavra do Senhor, ou se perderá para sempre (Jo 3.3). A escolha que fazemos aqui determina onde passaremos a eternidade.

Aquele que se converte tem seus pecados perdoados e passa da morte para a vida (Jo 5.24). Como José do Egito, que fugiu da tentação, os salvos também devem evitar pecar. Quem, porém, achar que o Altíssimo não será tão inflexível descobrirá que sua rebeldia o condenou à perdição.

Reflita nisto: o Pai é grandioso em perdoar. Portanto, analise seu erro, até mesmo o mais oculto, e, independentemente do preço que pagará, fale com Deus e também com a pessoa que você traiu, roubou ou prejudicou de alguma maneira, pois não haverá compaixão no Juízo.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores