sexta-feira, 18 de novembro de 2011

De certa forma, motivo é tudo.

“Ai de vocês, fariseus, porque amam os lugares de honra nas sinagogas e as saudações em público! Ai de vocês, porque são como túmulos que não são vistos, por sobre os quais os homens andam sem o saber!”. Lucas 11.43-44
 
De acordo com a lei, qualquer contato com um defunto ou até um túmulo tornava a pessoa impura (Num 19:16).

Os líderes religiosos, honrados pela sua suposta santidade, de fato contaminavam todos que entravam em contato com eles.

Embora faziam e ensinavam muitas coisas boas, seus motivos corroíam tudo que faziam.
De certa forma, motivo é tudo.
Não é que o ato errado é justificado pelo motivo certo.
Porém, o maior sacrifício realizado com o objetivo de ganhar atenção (ou merecer salvação) perde todo seu valor.

Foi sobre isso que Paulo escreveu: "Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me valerá." (1 Cor 13:3). O amor ao qual Paulo se referiu não era só carinho para com o próximo, mas, amor a Deus. Amor a Deus reconhece que literalmente toda honra e toda glória pertencem somente a Ele. Senão, acabam alimentando os desejos de outro deus, o deus chamado "eu".

Vamos examinar rigorosamente nossos motivos e objetivos para que sejam voltados para uma coisa só - glorificar ao único Deus.

Sendo assim, no devido tempo, teremos nosso reconhecimento do próprio Senhor como filhos de Deus e herdeiros do Reino dos Céus.

Em Cristo, com amor,

IIGD Piraquara.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores