quarta-feira, 19 de outubro de 2011

9º Fruto – Temperança

O Fruto da Temperança nada mais é do que o domínio próprio, o autocontrole ou controle firme em situações.

Em I Coríntios 9.22 podemos ver como Paulo exercitava a Temperança “Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. Ora, tudo faço por causa do evangelho, para dele tornar-me co-participante. Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só é que recebe o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta, exerce domínio próprio em todas as coisas; ora, eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como indeciso; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à submissão, para que, depois de pregar a outros, eu mesmo não venha a ficar reprovado.”.
O texto acima é um belo exemplo de domínio próprio, Paulo dominava seu corpo, ou em outras palavras, dominava seu temperamento a fim de tornar-se co-participante do Evangelho. Mas quantos de nós poderíamos ter esta capacidade, se não o fosse pelo poder do Espírito Santo em nós.
Paulo, porém, nos exorta a “correr” em direção a nossa coroa incorruptível, sem distrações, subjugando nossas vontades, tendo temperança em tudo.

Consideremos que temperança não significa fugir de situações adversas, mas sim, saber exatamente o que fazer quando estiver diante de uma delas. Veja, por exemplo, que quando Jesus chegou a Jerusalém, encontrando os cambistas no Templo, Ele os expulsou, mas em nenhum momento perdeu o equilíbrio.
Como está escrito em Provérbios 16.32; “Melhor é o longânimo do que o valente; e o que domina o seu espírito do que o que toma uma cidade.”.

Devemos ter nossas ações comedidas, ter um verdadeiro controle sobre nossos atos e reações, assim manifestaremos o Fruto da Temperança sendo também co-participantes do Evangelho, como disse Paulo.

Do contrário, seremos como os escribas e fariseus, repreendidos por Cristo por estarem cheios de rapina e intemperança (Mateus 23.25).

Quem não tem domínio próprio, abre espaço para o mal entrar em sua vida “Como a cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito.” Provérbios 25.28

Lembre-se sempre das orientações vindas da Palavra de Deus:

“Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira” Efésios 4.26

“A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um” Colossenses 4.6
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores