segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Fique atento às oportunidades

“Voltei-me, e vi debaixo do sol que não é dos ligeiros a carreira, nem dos fortes a batalha, nem tampouco dos sábios o pão, nem tampouco dos prudentes as riquezas, nem tampouco dos entendidos o favor, mas que o tempo e a oportunidade ocorrem a todos.” Eclesiastes 9.11.

O Rei Salomão observou bem, “a oportunidade é para todos”.

Samuel ungiu a Davi, Rei sobre Israel, mas ele não tomou posse do trono imediatamente.
Davi voltou a apascentar as ovelhas de seu pai conforme vemos em I Samuel 16.13 e I Samuel 17.15.

Para ser Rei, não bastava apenas ser ungido, Davi precisava ser membro da família Real, ele precisava ser herdeiro do Rei.
Passado algum tempo, Davi viu a oportunidade de se tornar membro da família Real, quando o gigante Filisteu desafiava o exército de Israel.
“E diziam os homens de Israel: Vistes aquele homem que subiu? Pois subiu para afrontar a Israel; há de ser, pois, que, o homem que o ferir, o rei o enriquecerá de grandes riquezas, e lhe dará a sua filha, e fará livre a casa de seu pai em Israel. Então falou Davi aos homens que estavam com ele, dizendo: Que farão àquele homem, que ferir a este filisteu, e tirar a afronta de sobre Israel? Quem é, pois, este incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo? E o povo lhe tornou a falar conforme àquela palavra dizendo: Assim farão ao homem que o ferir.” I Samuel 17.25-27.

Note que a oportunidade de se tornar membro da família real estava ali, para qualquer homem que se dispusesse a ferir o Filisteu.
Mas somente Davi se dispôs a recebê-la.
Em I Samuel 17.31-37, Davi fala com Saul sobre o desejo de enfrentar o desafio e sua disposição em vencer.
O restante da história todos conhecemos, Davi venceu o desafio do gigante e entrou para a família real.

Quantas vezes nós, assim como aquele exército, deixamos a oportunidade passar diante dos nossos olhos, enquanto apenas esperamos a benção de Deus?!

Amado, não basta apenas ser ungido, é preciso estar atento às oportunidades.

O livro de I Samuel nos conta a história de um homem, escolhido por Deus dentre os menores de sua casa, ungido, separado para ser Rei, mas que precisaria tomar uma atitude, aproveitar uma oportunidade, para ver cumprir os planos de Deus em sua vida.

Será que aquela benção que ainda não veio, não está dependendo somente de uma atitude sua?!

Se o Senhor já te ungiu, fique atento às oportunidades.

Lembre-se, todo o exército de Israel teve a chance de vencer o Gigante, mas somente Davi viu ali a oportunidade de que precisava.

Um abraço,

IIGD Piraquara

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Pr. Antonio Cirilo

Novo CD do Pastor Antonio Cirilo pela Graça Music


Clique AQUI e ouça a canção
"Deus é glorioso"

 

Felizes são os que vêem


Então ele se voltou para os seus discípulos e lhes disse em particular: “Felizes são os olhos que vêem o que vocês vêem. Pois eu lhes digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vocês estão vendo, mas não viram; e ouvir o que vocês estão ouvindo, mas não ouviram”. Lucas 10:23-24

Se os discípulos eram abençoados imagine nós!
Vimos pelas páginas da Bíblia coisas que nem a profetas nem a reis foi permitido ver.
Como somos privilegiados!

Mas, não é só ver, é ouvir também. É ouvir as palavras faladas os relatos históricos, as instruções e mensagens enviadas por Deus para seus seguidores ao longo de séculos.

A maior loja de CDs e DVDs não se compara com a Palavra de Deus. Nela encontramos histórias e instrução para preencher cada hora do ano.
É para a família toda. Não precisamos nos preocupar se aquilo que estamos recebendo fará bem a nós e nossas famílias. É tudo do melhor!

Foi criado e produzido somente para nós. Vamos aproveitar hoje o grande privilégio que Deus colocou em nossas mãos.
Depois escreveremos com as nossas vidas outra história - das grandes coisas que Deus fará por meio da sua Palavra em nossas vidas hoje!

Um abraço,
IIGD Piraquara

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Thalles Roberto

Novo DVD de Thalles Roberto



Em breve

Os Nicolaítas

“Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio”
Apocalipse 2.6

“Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio.”
Apocalipse 2.15

Nikh = vitória (no sentido de dominar)
Laos= o povo peculiar (de Israel ou Cristãos)

O nome Nikolaitwn (nicolaitas) é composto por estas duas palavras e, juntas tem o sentido de “vitória sobre o povo” ou “os que dominam o povo”.

Esta palavra consta nas cartas às Igrejas de Éfeso e Pérgamo, e referem-se a uma heresia que se formava no fim da era apostólica, com falsos mestres que deturpavam a Pureza da Doutrina de Cristo e desviavam alguns do caminho.
Esta doutrina concebeu a idéia de que a Igreja deveria ter um clero especial e superior.
Evidentemente, este desejo de exercer poder sobre o povo, movido pelo instinto carnal de domínio, pela soberba e torpe ganância de posição e riquezas disseminou-se nas igrejas de forma que podemos ver isso acontecendo ainda nos dias atuais.

Não fora o Nicolaísmo, não existiria o erro de uma igreja universal, com sede em algum lugar, com um líder (humano) regendo sobre todos enquanto assentado sobre um trono.

Nem mesmo a primeira Igreja, formada por Jesus pessoalmente, em Jerusalém, tinha autoridade sobre as demais. Leia em Atos 15, a postura da Igreja de Jerusalém com relação a Antioquia, como uma mãe que exorta a seu filho INDEPENDENTE num momento de necessidade, mas não considera justo lhe impor nada. Observe-se, ainda, o próprio falar dos Apóstolos Pedro e Tiago (que estavam em Jerusalém e não em Roma), como não exercem eles domínio sobre a Igreja, mas servem como conselheiros junto a Ela e com o Espírito Santo (vv. 23, 25 e 28).

Esta heresia tem influenciado a vida e o pensamento de muitos religiosos e tem levado muitas almas para a perdição.

O verdadeiro evangelho não é assim.
O verdadeiro evangelho nos ensina: Mas Jesus, chamando-os a si, disse-lhes: Sabeis que os que julgam ser príncipes dos gentios, deles se assenhoreiam, e os seus grandes usam de autoridade sobre elas; Mas entre vós não será assim; antes, qualquer que entre vós quiser ser grande, será vosso serviçal; E qualquer que dentre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos. Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.” Marcos 10.42-45

Se Jesus, nosso Senhor, veio para servir sendo exemplo para nós, porque então alguns religiosos se preocupam tanto em serem servidos?!

Não obstante, vemos claramente, que nos dois versículos de Apocalipse 2 mencionados no início do texto, a Palavra de Deus nos fala a mesma coisa em relação aos Nicolaítas;
Nosso Senhor “odeia estas obras”.

Sirva e faça a vontade de Deus!

"Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve." Lucas 22.26.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O que realmente é importante?

A manifestação do poder sobrenatural impressiona os homens.
Milagres, enfermos curados, demônios expulsos, a prosperidade, a libertação de vícios, tudo isso nos chama a atenção.

Contudo, o maior milagre de todos é a salvação de uma alma.
Entre todos os prodígios que Deus pode fazer, este Ele só faz com a cooperação do homem.
Este milagre depende de um relacionamento pessoal com Deus.

Jesus nos ensina o que realmente deve chamar nossa atenção:
“Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano algum. Contudo, não vos alegreis porque se vos submetem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.” Lucas 10.19:20

Esta alegria é maior porque é a prova maior do amor de Deus por meio de Jesus.
E esta alegria durará pela eternidade.

Um abraço,

IIGD Piraquara

terça-feira, 25 de outubro de 2011

As Histórias de Jonathan Sperry


TRANSFORMADOR, é a melhor palavra que encontrei para descrever este belo filme.

O que é e como é servir a Jesus?

Nesse filme inspirador você aprenderá que a grandeza no reino de Deus não é medida por quantas pessoas estão a seu serviço, mas a quantas pessoas você está servindo.

Dustin (Jansen Panettiere) e seus dois melhores amigos aprendem isso durante as férias de verão. Mesmo com a expectativa de muita diversão, Dustin acaba arrumando um serviço periódico como cortador de grama na casa de um idoso. Nessa atividade, uma amizade singular se desenvolve entre Dustin e Jonathan Sperry (Gavin MacLeod).

Entre as histórias contadas por Jonathan ele mostra que um crente feliz é aquele que não apenas conhece, mas pratica o que conhece. O que acontece no resto do verão é algo que Dustin e seus amigos nunca vão esquecer e muda completamente suas vidas.

Um filme inspirador para todas as idades e que você não pode deixar de assitir!

Trailer

Saiba mais em

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Festa do dia das crianças - 15/10/2011


É com muita alegria que hoje posto este vídeo com algumas imagens da Festa do dia das Crianças realizada  na Igreja da Graça de Piraquara em 15/10/2011.

Foi um dia de muita alegria para os pequeninos e também para os pais que participaram ativamente das brincadeiras realizadas nesta festa.

Além das brincadeiras tivemos a apresentação de Teatros com a mensagem do Evangelho direcionada às crianças.
Temos certeza de que a boa semente foi plantada no coração de todos ali presentes.
Glória a Deus por esta festa abençoada!

"Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!"
Salmos 133.1

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Um recado de Thalles para você



Vote no clipe "Deus da minha vida"

Jesus disse: "estive preso e não me visitaste" (Mateus 25:43)

O Pr. Yosef Nadarkhani foi preso e setenciado a morte no Irã. Por quê?  Por pregar o Evangelho de Cristo e recusar-se a negar o Mestre.
Ore por ele e por sua família. Ajude-os.

Você não pode estar em pessoa visitando-o, mas pode estar junto em alma e espírito, ou seja, no mesmo propósito! Saiba como em

E se... Você tivesse uma segunda chance?





E se... você tivesse outra chance para escolher melhor? Essa é a pergunta central do filme que conta a história de Ben Walker (Kevin Sorbo), que, há 15 anos, abandonou sua namorada da faculdade, Wendy (Kristy Swanson), e sua vocação a fim de perseguir uma oportunidade no mundo dos negócios.
Agora, com um emprego altamente remunerado, noivo e dono de um novo Mercedes, ele vê sua vida se transformar depois que seu carro quebra misteriosamente
.


Acesse o hotsite http://www.ese-ofilme.com.br/

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Encerramento Frutos do Espírito

Gálatas 5.22 “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.”.

Tal qual um fruto natural, o Fruto do Espírito não pode ser amadurecido à força, nem com o uso de uma “estufa”.
Vimos no início, que o Fruto vem do caráter do crente, tendo sido ativado pelo Espírito Santo e vem se desenvolvendo, ou seja, deve ser produzido pelo crente.
No seu dia a dia o crente deve buscar sabedoria em Deus para que o mundo veja as qualidades do Fruto.
Isso glorificará o Deus a quem servimos. Vimos isso em Atos 11.24, quando Barnabé pelo seu testemunho foi usado para que muitas pessoas se unissem ao Senhor.

Também não devemos esquecer que a árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo (Mateus 3.10). Esse não é o caminho que o Senhor escolheu para nós.

Quem anda no Espírito, terá por certo a salvação em Cristo, pois “Contra estas coisas (frutos do Espírito) não há lei.” Gálatas 5.23.

Um abraço,

IIGD Piraquara

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

9º Fruto – Temperança

O Fruto da Temperança nada mais é do que o domínio próprio, o autocontrole ou controle firme em situações.

Em I Coríntios 9.22 podemos ver como Paulo exercitava a Temperança “Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. Ora, tudo faço por causa do evangelho, para dele tornar-me co-participante. Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só é que recebe o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta, exerce domínio próprio em todas as coisas; ora, eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como indeciso; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à submissão, para que, depois de pregar a outros, eu mesmo não venha a ficar reprovado.”.
O texto acima é um belo exemplo de domínio próprio, Paulo dominava seu corpo, ou em outras palavras, dominava seu temperamento a fim de tornar-se co-participante do Evangelho. Mas quantos de nós poderíamos ter esta capacidade, se não o fosse pelo poder do Espírito Santo em nós.
Paulo, porém, nos exorta a “correr” em direção a nossa coroa incorruptível, sem distrações, subjugando nossas vontades, tendo temperança em tudo.

Consideremos que temperança não significa fugir de situações adversas, mas sim, saber exatamente o que fazer quando estiver diante de uma delas. Veja, por exemplo, que quando Jesus chegou a Jerusalém, encontrando os cambistas no Templo, Ele os expulsou, mas em nenhum momento perdeu o equilíbrio.
Como está escrito em Provérbios 16.32; “Melhor é o longânimo do que o valente; e o que domina o seu espírito do que o que toma uma cidade.”.

Devemos ter nossas ações comedidas, ter um verdadeiro controle sobre nossos atos e reações, assim manifestaremos o Fruto da Temperança sendo também co-participantes do Evangelho, como disse Paulo.

Do contrário, seremos como os escribas e fariseus, repreendidos por Cristo por estarem cheios de rapina e intemperança (Mateus 23.25).

Quem não tem domínio próprio, abre espaço para o mal entrar em sua vida “Como a cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito.” Provérbios 25.28

Lembre-se sempre das orientações vindas da Palavra de Deus:

“Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira” Efésios 4.26

“A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um” Colossenses 4.6

terça-feira, 18 de outubro de 2011

8º Fruto – Mansidão

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;” Mateus 5.5.

É curioso que, quando pensamos em mansidão, ou em alguém manso, logo imaginamos alguém muito humilde, ou indefeso, que aceita tudo o que o mundo lhe impõe.
Mas ao pensar assim, estamos ligeiramente enganados. Ser manso, não significa concordar com tudo.

Veja como nosso mestre Jesus agiu, Ele foi manso e humilde de coração (Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração” Mateus 11.29), mas isso não o impediu de expulsar os cambistas do templo (E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas” Mateus 21.12).

E Moisés, o homem mais manso da terra (“E era o homem Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra” Números 12.3), ele se irritou com a idolatria do povo (E aconteceu que, chegando Moisés ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se-lhe o furor, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte; E tomou o bezerro que tinham feito, e queimou-o no fogo, moendo-o até que se tornou em pó; e o espargiu sobre as águas, e deu-o a beber aos filhos de Israel” Êxodo 32.19-20).

Os exemplos acima não parecem atitudes de pessoas mansas não é mesmo? Não da maneira como nós imaginamos serem os Mansos.

Vemos aqui que, ser manso é ter atitude de mansidão, mas não é, de maneira alguma, ser inoperante ou improdutivo.
Nossos exemplos acima eram, sem dúvida alguma, pessoas mansas, mas isso não significa que ficariam inertes diante do mal.

Ora, o Fruto da Mansidão manifesta-se em nós, na maneira como agimos guiados pelo Espírito Santo, com sabedoria, sem que sejamos indefesos, inoperantes ou apáticos, nem tampouco “encrenqueiros” ou “nervosinhos”.

O Fruto da Mansidão faz com que tenhamos reações com propósito correto. Sendo mansos, porém não deixando de agir no momento que é necessário.

O melhor começo para desenvolvermos o Fruto da Mansidão é seguir o que diz a Palavra de Deus:

“E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade,” II Timóteo 2.24-25

Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão para com todos os homens.” Tito 3.2.

Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria.” Tiago 3.13.

"Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade;" (Colossenses 3.12)

"Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas." (Tiago 1.21)

"Antes, santificai ao SENHOR Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós," (I Pedro 3.15)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

7º Fruto – Fé

Talvez você não saiba, mas há quatro tipos de Fé descritos na Bíblia; A Natural, que poderíamos exemplificar como o que nos faz levantar todas as manhãs para ir ao trabalho, sabendo que ele nos aguarda; a Salvadora, como a Fé de Davi na certeza de que a Salvação vem somente de Deus (Salmos 3.8), Fé Dom do Espírito Santo dado à Igreja para sua edificação (I Coríntios 12.9) e Qualidade do Fruto do Espírito.
Como qualidade do Fruto, podemos dizer que é a confiança que procede do Espírito de Deus habitando em nós. Por esta Fé somos Fiéis à Deus crendo em suas promessas.
É a confiança que temos mesmo em meio às tribulações e adversidades que enfrentamos.
Jesus recomendou à igreja de Smirna ser Fiel até a morte, confiando em Deus, a fim de receber Dele a coroa da vida Apocalipse 2.10.  Uma fidelidade como essa, não se tem naturalmente, somente quando manifestamos o Espírito Santo em nós através do Fruto da Fé.

Essa Fé faz com que sejamos fieis não até morrer, mas ainda que tenhamos que morrer.

Podemos ver outro exemplo bíblico descrito no livro de Jó 13.15 Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele.”.
Jó era fiel a Deus, ainda que tivesse que morrer, pois sabia que o Senhor poderia lhe salvar (Jó 13.16).

Creia em Deus, ainda que as circunstâncias sejam contrárias, Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação” Habacuque 3.17-18.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

6º Fruto – Bondade

Bondade trata-se da ação do Cristão que é Benigno. Bondade é a atitude das suas mãos.

Manifestamos o Fruto da Bondade quando deixamos nossa “zona de conforto” para agir em favor de alguém que esteja necessitando de ajuda, isso é um passo além da benignidade.

Vejamos a parábola do Bom Samaritano, o qual deixou seus afazeres, o seu caminho, para suprir as necessidades de alguém que ele nem ao menos conhecia: Lucas 10.30-35 “Jesus, prosseguindo, disse: Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de salteadores, os quais o despojaram e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto. Casualmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e vendo-o, passou de largo. De igual modo também um levita chegou àquele lugar, viu-o, e passou de largo. Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou perto dele e, vendo-o, encheu-se de compaixão; e aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; e pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. No dia seguinte tirou dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que gastares a mais, eu to pagarei quando voltar.”.

Perceba que Jesus fez o mesmo por nós: Romanos 5.6-8 “Pois, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque dificilmente haverá quem morra por um justo; pois poderá ser que pelo homem bondoso alguém ouse morrer. Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.”.

Outro exemplo que podemos seguir é o de Barnabé, um homem que foi usado por Deus para exortar os irmãos da Igreja de Antioquia a perseverarem no Senhor com firmeza de coração.
A bondade deste homem foi responsável para que muitos se unissem ao Senhor nesta Igreja, conforme vemos em Atos 11.24 “porque era homem de bem, e cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor.”

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

5º Fruto – Benignidade

A benignidade é uma atitude de coração.
Talvez no início o Fruto da Benignidade não se manifeste espontaneamente, mas a partir do momento em que o Espírito Santo começar a tratar a sua vida, você sentirá a necessidade de tomar atitudes benignas.
É a partir deste momento, que você começa a ser verdadeiramente transformado.

Mas o que é ser benigno? Em primeiro lugar podemos dizer que a pessoa benigna não oferece ameaça. Quem manifesta o Fruto da Benignidade faz o bem, melhor dizendo, ele procura necessidades para suprir.
Vemos isso descrito em Gálatas 6.9-10 E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.”.

O amor de Cristo nos capacita a suprir necessidades, assim, agimos como Jesus: Atos 10.38 Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele.”.

Mas ser benigno vai muito além, ser benigno é ter compaixão, é ir de suprir a uma simples necessidade material, até ser tocado pela dor de um irmão numa necessidade extrema.
Jesus demonstrou esta compaixão em pelo menos duas ocasiões, uma ao encontrar com a viúva de Naim à porta da cidade: Lucas 7.12-13 “E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e disse-lhe: Não chores.” e outra quando viu a dor da irmã de Lázaro e dos Judeus que com ela estavam João11:35 “Jesus chorou”.
Nas duas ocasiões vemos que Jesus ficou tocado pelo sofrimento das pessoas à sua volta, Ele teve compaixão por elas, mas vemos também que em seguida tomou uma atitude benigna, trazendo de volta à vida aqueles jaziam mortos.

Devemos lembrar também que Jesus sempre praticava atos de bondade com propósito, assim também o devemos fazer.
Em I Tessalonicenses 5.15-22 vemos algumas orientações práticas que nos ajudam a estar disponíveis a manifestar o Fruto da Benignidade: Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, tanto uns para com os outros, como para com todos. Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal.”.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

4º Fruto – Longanimidade ou Paciência

Temos a definição de Paciência em alguns dicionários como perseverança, capacidade de tolerar contrariedades, dissabores, infelicidades ou como sossego com que se espera uma coisa desejada.

O fruto da paciência é manifesto pela forma passiva com que reagimos a situações que normalmente nos levariam a uma atitude descontrolada ou impulsiva.

Quando a paciência é manifesta em nós, temos reações racionais sob qualquer circunstância (calúnia, injúria, difamação, provocações,...).

Quando passamos por estas situações, o Espírito de Deus que habita em nós tem o domínio sobre nossos sentimentos nos orientando a agir como nosso Senhor Jesus agiria.

Pela paciência, manifestamos nossa confiança de que Deus agirá em nossa defesa.

I Pedro 2.20-21 “Pois, que glória é essa, se, quando cometeis pecado e sois por isso esbofeteados, sofreis com paciência? Mas se, quando fazeis o bem e sois afligidos, o sofreis com paciência, isso é agradável a Deus. Porque para isso fostes chamados, porquanto também Cristo padeceu por vós, deixando-vos exemplo, para que sigais as suas pisadas.”

terça-feira, 4 de outubro de 2011

3º Fruto - Paz

Todos buscam a Paz, nações, povos, desde a antiguidade até os dias atuais.
Enfim, sabemos que a busca pela Paz é algo pela qual a humanidade tem se dedicado há muito tempo.
Mas onde encontramos então, este objetivo tão almejado?

O que vem a ser, na realidade, essa Paz que instintivamente nós humanos buscamos tão incansavelmente?

A resposta está num relacionamento sincero com nosso Criador.
Paz é resultado da harmonia entre Deus e o homem. E esta harmonia nos foi conquistada por Jesus através de seu sacrifício na Cruz.
Jesus é quem nos dá a Paz, conforme Ele mesmo nos diz em João 14.27 “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; eu não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” e conforme foi dito pelo profeta em Isaias 9.6 “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz.”
Isso porque Deus é o Deus de Paz, somente Ele pode dar a Paz que procuramos, a fim de que na volta de Jesus, possamos nos encontrar prontos para a Eternidade na qual Deus nos espera: I Tessalonicenses 5.23 “E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”
Por isso, amados, lhes digo, quem anda com Deus desfruta de Paz.
Amós 3.3 “Acaso andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?”"Aparta-te do mal, e faze o bem: busca a paz e segue-a." Salmos 34.14Busque a Paz, siga a Jesus e o Fruto será manifesto em sua vida.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores