sexta-feira, 29 de julho de 2011

Vença o medo sob a Palavra de Deus

“E o SENHOR disse-lhe: Que é isso na tua mão? E ele disse: Uma vara. E Ele disse: Lança-a na terra. Ele a lançou na terra, e tornou-se em cobra; e Moisés fugia dela. Então disse o SENHOR a Moisés: Estende a tua mão e pega-lhe pela cauda. E estendeu sua mão, e pegou-lhe pela cauda, e tornou-se em vara na sua mão;” Êxodo 4:2-4

Moisés vivera no deserto por quarenta anos até que chegasse o dia de seu encontro com Deus na sarça, ele sabia muito bem reconhecer uma serpente venenosa.

Não é à toa que o versículo 3 menciona que Moisés fugia dela.

Também não parece sábio capturar uma serpente pela sua cauda, deixando livre a cabeça do réptil, pois assim deixamos a víbora livre para nos atacar.
Mas Moisés não temeu em capturá-la, pois confiara na Palavra de Deus.

Amados, creio que Deus deu um recado a Moisés que serve como lição para nós nos dias de hoje.

Um pouco antes de Deus transformar a vara em cobra, Moisés havia recebido a comissão de libertar o povo do Egito, mas em seguida, estava dando algumas desculpas para não o fazer.
Ele dizia “Mas eis que não me crerão, nem ouvirão a minha voz, porque dirão: O SENHOR não te apareceu” Êxodo 4:1.
Isso talvez tenha soado para Deus como: “Mas eu tenho medo de não dar certo, vou dar uma desculpa aqui pra desistir logo, antes de tentar”.

Assim acontece nos dias de hoje, quando o Senhor nos dá uma Palavra ou uma revelação, seja ela para nos libertar ou libertar alguém, para nos curar ou para que alguém seja curado, para exortar ou pregar para alguém e nós, olhando para as dificuldades ou até mesmo evitando deixar nossa “zona de conforto”, de pronto começamos a dar desculpas, tentando fugir de um compromisso com Deus.

Deus tratou o medo de Moisés, Ele disse para jogar a vara ao chão, a qual sendo transformada em uma cobra passou a assustar Moisés, da mesma forma como o temido Império do Egito o assustava.

Em seguida o Senhor então ordena que a serpente seja capturada pela cauda, ou seja, de uma maneira que humanamente seria errada, mostrando a Moisés que debaixo da Palavra de Deus, as coisas não acontecem como nós homens pensamos que deve ser.
Então, Moisés, crendo em Deus, agiu e a Serpente se tornou novamente em vara na sua mão.

Assim Moisés aprendeu que poderia vencer o medo, e que, pela Palavra de Deus não haveria nada impossível.

Devemos hoje, aprender esta lição.
Se olharmos para o medo, teremos desculpas para Deus, ignorando que para Ele nada é impossível – Lucas 1:37
Mas se acreditarmos no que Deus nos diz pela sua Palavra, seremos verdadeiramente Mais do que vencedores – Romanos 8:37.

Vença o medo, seja um vencedor em Cristo Jesus!


Um abraço,

IIGD Piraquara

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Gigantes

Davi venceu o gigante Golias que ele enxergava.

Mas foi derrotado pelo gigante que estava dentro dele mesmo, quando pecou com a Betseba.

Persiga o gigante que esta dentro de você até destruí-lo (Sl 18.37-38).

Quando você não destrói seu inimigo, ele volta na hora que você está mais fraco e destrói você.

Um abraço,

IIGD Piraquara










quarta-feira, 27 de julho de 2011

3000 Acessos


Agradecemos aos visitantes pelo crescimento do número de acessos do Blog, o que nos fez ultrapassar os 3000 mil acessos.

Sem que tivéssemos a pretensão de um grande número de visitas e levando-se em conta que o Blog é atualizado no nosso pouco tempo extra, ficamos felizes com o resultado final.
Até porque o objetivo principal deste espaço é o de ser mais um meio de se pregar a Palavra de Deus.

Queremos dedicar ao nosso Deus toda Honra e toda Glória por tudo realizado neste espaço que Ele nos confiou!

A todos, mais uma vez, o nosso muito obrigado!

Um abraço,

IIGD Piraquara

terça-feira, 26 de julho de 2011

ATENÇÃO - NOVOS HORÁRIOS DAS NOSSAS REUNIÕES

Domingos - 08:00 e 18:00hs - Fortalecimento Espiritual
Segundas - 09:00, 15:00 e 19:30hs - Prosperidade
Terças - Atendimento Pastoral
Quartas - 09:00, 12:00, 15:00 e 19:30hs - Reunião da Família
Quintas - Atendimento
Sextas - 09:00, 12:00, 15:00 e 19:30hs - Cura e Libertação
Sábados - 17:00hs - Grupo Jovem


Assista também ao Programa
SHOW DA FÉ
Com o Missionário R. R. Soares

Em Curitiba na RIT Canal 32 (24 hs) ou no SBT de Segunda a sábado das 03:00 às 05:45hs.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Unidos, Somos Fortes

"Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união"
(Salmos 133:1)
  
Perguntaram à esposa de um homem que deixou a igreja para se
unir a uma ordem fraternal, o motivo pelo qual havia saído.
Ela respondeu: "Bem, senhor, nunca deram a meu marido alguma
coisa para fazer na igreja, mas, assim que ele juntou-se à
ordem, deram-lhe um capacete e uma espada e o fizeram
guardião de alguma coisa importante. Ele está lá todas as
noites." (H. A. Proctor)


Que valor temos dado às pessoas que, conosco, estão na
igreja todos os fins de semana? Temos lhes dito que são
importantes, que Deus se alegra com a presença deles, que
sua participação na obra de Deus têm sido de grande valor?
Ou os temos ignorado, fazendo-os se sentirem rejeitados e
inúteis?


Há pessoas que vão às reuniões e não querem se comprometer,
mantendo-se distantes de tudo que se refere a trabalho do
Senhor. Porém, há muitos que estão ansiosos para uma
participação mais efetiva, mais direta, mais ativa. Querem
ser úteis e têm o coração ardendo por um envolvimento com as
coisas do reino de Deus. Oferecem-se e não são atendidos,
alistam-se, mas, percebem que os "grupos" já estão formados.
Tentam fazer alguma coisa, mas, não deixam. Sentem-se, por
isso, preteridos e frustrados. Acabam esfriando e se
afastando aos poucos, até serem "recrutados" para outra
atividade.


É preciso que tenhamos sabedoria dos céus e entendamos que
estamos a serviço do Senhor. O trabalho de Deus não é nosso
e nem dos nossos amigos mais chegados. Devemos ter comunhão
com todos e deixar que o Senhor use a todos, conforme a Sua
vontade.


Alguns dizem: "Quem quer trabalhar para o Senhor não depende
de cargos na igreja". É verdade, porém, a melhor maneira de
se fazer a obra de Deus é com união, amor e a orientação da
igreja. Alguém já disse que "a união faz a força" e, a união
com as bênçãos do Senhor torna a força ainda maior.


Se você frequenta uma igreja, caminhe sempre de mãos dadas
com todos os irmãos. Você não é o mais importante, os demais
irmãos não são mais importantes, só o Senhor é mais
importante que tudo.

Um abraço,

IIGD Piraquara

quinta-feira, 21 de julho de 2011

A mensagem que incomoda

Depois que os mensageiros de João foram embora, Jesus começou a falar à multidão a respeito de João: “O que vocês foram ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?"
Lucas 7:24
O caniço a qual Jesus se referiu era uma planta que crescia às margens do rio Jordão.


Longa e fina, ela se curvava a qualquer vento que soprava.

Se alguém fosse ouvir João pensando que ele era assim, voltava decepcionado.

A mensagem do Batista ofendeu muitas pessoas e ele não se dobrou aos incomodados, inclusive o tetrarca Herodes.

Tomás Merton ponderou “Não há nada de confortável na Bíblia - até que nós consigamos fazê-la confortável para nós mesmos. Daí, então, talvez estejamos confortáveis demais com ela."
A mensagem que estamos buscando na Bíblia ainda nos incomoda?
Ou será que a temos domesticado?
Será que temos ficado confortáveis demais com ela?

Pense a respeito.

Um abraço,

IIGD Piraquara

Pr. Antônio Cirilo é Graça Music

A assinatura do contrato aconteceu na sede da Graça Music, no dia 19 de julho de 2011.




quarta-feira, 20 de julho de 2011

“... sentindo... tanta afeição por vocês...” – 1 Tessalonicenses 2:8 NVI


Liderança espiritual. “Certamente vocês se lembram... [que]... lhes pregávamos o evangelho de Deus”. Uma pesquisa recente com famílias cristãs indica que um entre dez pais oram com seus filhos, e um entre vinte e cinco pais leem a Bíblia para eles.

Muitos de nós se lembram de terem sido criados por mães tementes a Deus (graças a Deus por elas!) ao passo que nossos pais estavam parcialmente envolvidos ou não tinham qualquer envolvimento com a vida espiritual da família.

Embora a mãe esteja assumindo o controle espiritual, Deus continua considerando o pai responsável por isso (ver Ef 6:4).

A mãe pode levar as crianças à Igreja, orar com elas e ensinar-lhes os princípios bíblicos, mas as crianças têm necessidades íntimas que só um pai pode suprir.

Portanto, seja um padrâo para elas do caráter amoroso de seu Pai celestial, que molda as vidas.

Os adultos criados sem a influência de um pai temente a Deus costumam relatar que algo está faltando neles, impedindo que se sintam confortáveis e íntimos em relação a su Pai celestial.

Ele parece inacessível, desafeiçoado, julgador, alguém que aceita mediante condições, que perdoa com rancor e que é predominantemente punitivo.

Eles oram sem muita frequência porque orar lhes parece estranho, como se estivessem “importunando” Deus, que está “ocupado demais para ouvir as minhas necessidades”.
Sentindo-se assim, muitas crianças rejeitam Deus totalmente.

Por outro lado, os adultos cujos pais dirigiram a família espiritualmente, parecem relativamente livres desses problemas.

Pai, Deus indicou você como representante Dele na vida dos seus filhos, e não existe um substituto.
Porção Diária: Leia At 16-17, Mt 10:1-10, Sl 140, Pv 16:3

É hora de assumir o volante, seja qual for a idade dos seus filhos, para que, assim como Paulo, você possa dizer: “Certamente vocês se lembram... [que]... lhes pregávamos o evangelho de Deus!”.

Um abraço,

IIGD Piraquara


Fonte: http://www.palavraparahoje.com.br

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Segurança Máxima

"Em paz também me deitarei e dormirei, porque só tu, SENHOR,me fazes habitar em segurança" (Salmos 4:8).

Uma história verdadeira: Um casal aposentado estava alarmado pela ameaça de guerra e armas nucleares.
Por esse motivo, eles empreenderam um estudo sério sobre todos os lugares habitados no globo.
Seu objetivo era encontrar o lugar menos provável de ser atingido pela devastação causada por guerras e destruição nuclear.
Eles almejavam encontrar um local de segurança máxima.
Então o casal estudou e viajou, viajou e estudou.
Finalmente encontraram o lugar.
Eles fizeram os planos e venderam a sua casa.
Organizaram seus pertences e mudaram.
No Natal de 1981, eles enviaram a seu pastor um cartão de sua nova casa.
Três meses mais tarde, o pastor estava orando por sua segurança.
A casa deles ficava nas Ilhas Falkland.
O lugar foi invadido pelas tropas argentinas em 2 de abril de 1982.

O mundo em que vivemos oferece muitos enganos e perigos.
Só há um lugar verdadeiramente seguro para nós: na presença do Senhor.
Ali não há enganos, não há discórdias, não há traições, não há dúvidas e nem incertezas.
Na presença do Senhor há vida, há paz, há esperança, há amor e compreensão.
Ele nos abriga e protege, nos consola e anima, nos conduz por campinas verdes e águas tranquilas de descanso.

Quando as lutas e dissensões nos cercam, Ele nos reveste de Seu amor.
Quando as aflições tentam nos atingir, Ele nos reveste de esperança e fé.
Quando a morte se aproxima, Ele nos reveste de vida abundante e eterna.

Se desejamos, como aquele casal americano, habitar em perfeita segurança, não precisamos fazer grandes estudos e nem muitas viagens.
Basta que nos apresentemos diante do trono de Deus e convidemos Cristo a entrar em nossos corações.
Onde estivermos, Ele estará também e, onde Ele está, a segurança é máxima... sempre!


Um abraço,

IIGD Piraquara

terça-feira, 12 de julho de 2011

É pelos frutos

“Nenhuma árvore boa dá fruto ruim, nenhuma árvore ruim dá fruto bom. Toda árvore é reconhecida por seus frutos. Ninguém colhe figos de espinheiros, nem uvas de ervas daninhas.” Lucas 6:43-44
O que é confundido às vezes com fruto é apenas folhagem.
O linguajar religioso, a Bíblia debaixo do braço, o zelo pela "sã doutrina" às vezes impressionam.
De repente, se vê uma mentira, um ato imoral, uma reação violenta. Mais cedo ou mais tarde o fruto irá aparecer.

Paulo alertou que os pecados de alguns homens "só mais tarde se manifestam" (1 Tim 5:24). Mas, vão aparecer.

Como estão as suas raízes? Estão descendo na Palavra diariamente? Seus galhos estão subindo para o céu em oração?

Se você buscar a Deus dia após dia o fruto da presença dEle irá se manifestar.

Ele está vendo e um dia todos verão.

Um abraço,

IIGD Piraquara

segunda-feira, 11 de julho de 2011

1 Timóteo 1:5

"Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida"

Purificado e Preservado pelo Sangue Inocente

O sangue sempre fez mal àqueles que têm pecados a encobrir e um desejo rebelde a proteger, mas poucos imaginariam que se tornaria um caso de ofensa entre tantos nas igrejas.

O problema é que o sangue não apenas salva o arrependido, mas ataca e condena o hostil. O sangue jamais será popular entre os amantes da religião e os que popularizam a "divindade por meio da mais alta expressão humana e evolução social".
No final da década de 1800, muitas igrejas e teólogos respeitados dos "melhores seminários" chegaram à conclusão de que o sangue "não estava com nada" e que era o "evangelho social fácil, leve e untado de graça" que estava "com tudo". Então, a mensagem do "sangue" simplesmente ofendia os sentimentos de um número considerável de membros dos cultos na congregação.

A solução aceita foi trocar a mensagem desconhecida do sangue por mensagens mais agradáveis que enfocassem os aspectos mais positivos dos ensinamentos de Jesus. A cruz como um símbolo de bondade era aceitável para exposição nos altares das igrejas, contanto que ninguém trouxesse à tona os detalhes sanguinolentos da paixão do Senhor no Calvário.

Devemos ficar assustados com uma igreja sem Cristo, sem cruz e sem sangue. Esta seria a "igreja perfeita" para Satanás e que nada faria em favor de alguém que descendeu de Adão.
Quer seja considerado politicamente correto, socialmente aceitável ou um suicídio ministerial, deve existir um altar que seja símbolo da morte e do sacrifício cruento da carne, se quisermos salvação e poder.

A maioria de nós não quer morrer, mas a morte é necessária àqueles que querem viver. O Cordeiro ensangüentado não deixou espaço para discussões ou auto justificação: “E quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim. Quem acha a sua vida a perderá, e quem perde a sua vida por minha causa a encontrará” (Mt 10.38,39).
Parece que ficamos com medo de nos tornarmos muito "ensangüentados" não é mesmo?!

Ora, se há alguém na igreja que têm comentado: "Se pudermos tratar desta 'coisa de salvação' sem mencionar o sangue, se pudermos fazê-lo o mais indolor possível, seremos muito mais populares", saiba que isso não vem de Deus, e está completamente errado!

Lamento, mas não há como evitar o sangue.

Um abraço,

IIGD Piraquara

sexta-feira, 8 de julho de 2011

O REI UZIAS SUCUMBIU À SEDUÇÃO DO PODER

O reino começara bem.

Uzias "buscou a Deus" e experimentou um período de prosperidade. Tornou-se poderoso e afamado.

Mas acabou sucumbindo à sedução exercida pelo poder.

Deus poupou a vida de Uzias, sendo-lhe misericordioso. Basta lembrar a sorte de Uzá, nos dias de Davi, que morreu ao subestimar a santidade de Deus.
Ironicamente o nome Uzá significa "poder".

O rei Uzias foi apenas um "Uzá" mais bem trajado que ousou tocar na mesma coisa pela qual o maltrapilho morrera.

Ele não havia ainda deixado o templo e Deus já o marcara permanentemente com lepra, uma enfermidade que tem o mesmo nome da nossa moléstia espiritual — ele estava impuro.

A natureza orgulhosa de Uzias encontrou-se, no templo, com a santidade de Deus, desprotegidamente.
Ao ser confrontado, ousou rebelar-se, desafiando os sacerdotes.

Sua natureza impura subiu à superfície, revelando quem ele era realmente.
A partir daí, foi desqualificado para reinar. Seu filho tornou-se o regente enquanto Uzias teve de ser lançado fora da casa real.

Enquanto buscou o Senhor, Uzias prosperou. Ao deixar de buscar, deixou de prosperar.

Nem mesmo pode ser sepultado juntamente com os demais reis de Judá devido à sua lepra.
É provável que Isaías ainda estivesse lamentando a morte de Uzias quando Deus reestruturou a sua compreensão sobre a santidade.

É possível que a igreja atual esteja sofrendo da Síndrome de Uzias.

Insistimos em nos aproximar de Deus à nossa maneira, afirmando que tudo está sendo feito para a "glória de Deus".

A nossa adoração será aceita pois sabemos como agradá-lo. Pensamos poder "alimentá-lo" com nossos sermões bem preparados, liturgias frias e cansativas, e adoração orquestrada com orgulho e arrogância religiosos, como se Ele fosse um animal treinado e acorrentado.

Deus está para marcar muitos de nós com uma lepra que nos fará conhecidos como "cortados da casa de Deus", ou, como disse o apóstolo Paulo "tendo aparência de piedade, mas negando o seu poder".
Paulo continua advertindo-nos para que "nos afastemos" de tais pessoas.

Será que Deus afastou-se de nós pelas nossas práticas religiosas inúteis? Será que nossa presunção contaminou nossas ofertas e nos desqualificou para habitar na sua presença?

A única maneira de sermos curados da "Síndrome de Uzias" é através de uma experiência com Deus, como a vivida por Isaías.

A maioria de nós, no entanto, jamais chega a esse ponto.

Quando confrontados, ficamos irritados, quando devíamos nos arrepender.

Insistimos em balançar nossos incensórios repletos de ofertas inaceitáveis a Deus.

Precisamos verdadeiramente de lábios ardentes e de coração aquecido.

Não permita que seu reinado termine como o do rei Uzias, não se deixe seduzir.

Só mesmo uma brasa do altar de Deus poderá curar-nos da nossa arrogância.


Um abraço,

IIGD Piraquara

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Para que todos sejam um

“Para que todos sejam um...”– João 17:21 NVI

Isto pode ser um choque para você, mas o Livro da Vida não registra a sua denominação ao lado do seu nome.

No céu não há rótulos religiosos.

Se alguém tem o direito de chamar Jesus de “Senhor”, você deve tratá-lo como seu irmão independentemente de qual igreja ele frequente.
Todos nós estamos ligados pelo sangue – o sangue de Jesus!

Como crentes, a Bíblia nos diz para “preservarmos a unidade do Espírito no vínculo da paz” (Efésios 4:3 NAS). Observe que Deus não nos diz para criarmos a unidade, Ele nos diz para preservá-la.

O comediante Elmo Philips costumava contar esta história: “Em uma conversa com uma pessoa que eu havia conhecido recentemente, perguntei: ‘Você é protestante ou católico?’. O meu novo conhecido respondeu: ‘Protestante’. Eu disse: ‘Eu também!’. ‘Batista do Norte ou Batista do Sul?’. ‘Batista do Norte’, respondeu ele. ‘Eu também!’. gritei. Continuamos indo de lá para cá. Finalmente, perguntei: ‘Batista Fundamentalista Conservador do Norte, da Região dos Grandes Lagos, Conselho de 1879, ou Batista Fundamentalista Conservador do Norte, da Região dos Grandes Lagos, Conselho de 1912?’. Ele respondeu: ‘Batista Fundamentalista Conservador do Norte, da Região dos Grandes Lagos, Conselho de 1912’. Eu disse: ‘Morra, herege!’”.

Falando sério, você sabia pelo que Jesus orou? “Para que todos sejam um... para que o mundo creia”.

Uma igreja dividida é uma igreja ferida e fraca.

Você já pensou no que aconteceria se nós retirássemos os nossos rótulos e colocássemos o nosso conteúdo em exibição? Talvez não precisássemos de cartazes do lado de fora da nossa porta para atrair as pessoas, porque elas seriam atraídas pelo amor daqueles que estão dentro.

É algo em que vale a pena pensar, não é?

Um abraço,

IIGD Piraquara

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Há poder no Sangue

A verdade, como a liberdade, nunca é vencida de forma conclusiva. Ela tem de ser disputada por gerações posteriores. Não haverá vitória sem guerra.
O caminho da cruz é um caminho de sangue. Devemos nos lembrar de que ele foi um caminho manchado de sangue antes de tornar-se um caminho de glória.
Não, querido amigo, se quiser viver, você tem de encontrar um altar e morrer. Uma cruz está à sua espera do outro lado.

A presença do sangue remonta ao momento após a queda de Adão no jardim do Éden, quando o próprio Deus derramou o primeiro sangue para cobrir o pecado de Adão e Eva. Ele matou um animal inocente para prover uma veste ou expiação para Adão e Eva. O sangue do inocente pelo culpado foi necessário. Daquele dia até hoje, o homem tem tido uma teologia integrada em que, sem o derramamento de sangue, não há remissão do pecado (veja Hb 9.22).

Deus revelou um novo e indescritível segredo sobre o sangue quando planejou o êxodo dos filhos de Israel da escravidão do Egito.
Ele revelou uma nova propriedade do sangue dos inocentes na última praga que usou para dobrar a vontade de Faraó e punir o Egito pelos maus tratos infligidos à família de José.
Este segredo é à base da observância da Páscoa dos judeus e o fundamento de nossa salvação em Cristo.
As pragas que fizeram o Egito tremer não conseguiram abalar a obstinada determinação de Faraó de manter os hebreus sob eterna escravidão. Isto levou o Egito à última e pior praga de todas.
O tempo do êxodo de Deus estava próximo, e a justiça não mais esperaria. O Senhor falou com Moisés e ordenou que todas as famílias israelitas em Gósen (a desprezada região de pastores habitada por israelitas) sacrificassem um cordeiro sem defeito e passassem seu sangue com um feixe de hissopo nas ombreiras e vergas das portas de suas casas.
As ordens de Deus foram simples: Permaneçam em casa e fiquem sob o sangue. Deus Disse: "Quando Eu Vir o Sangue...”

Então, Deus explicou que naquela mesma noite o Anjo da Morte passaria por toda a terra do Egito para matar os primogênitos de todas as casas. A única coisa que os salvaria da morte certa era o poder do sangue de um cordeiro.
Então, ele disse: "Quando eu vir o sangue, passarei adiante..." (Êx 12.13b).

Esta é a origem do termo páscoa. Toda casa que não estava coberta pelo sangue sofreu a morte de seu primogênito.
Não há explicação para isso. A linguagem humana é insuficiente neste ponto.
Entretanto, há algo sobre o sangue do cordeiro que atrai Deus.
Ele o estimula e libera seus maiores pensamentos, emoções e poder. Se você quer poder com Deus, força para o homem poder contra Satanás, tudo isso vem pelo sangue do Cordeiro.

É interessante observar que o Anjo da Morte era um anjo de Deus, mas nem ele podia atravessar a linha de sangue.

Se o anjo de Deus não podia atravessá-la, quão mais intransponível seria essa barreira para um agente do inferno?

Há poder no sangue.

Um abraço,

IIGD Piraquara

Fonte: Livro: "Fontes secretas de poder" Autor: Tommy Tenney

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Que mérito vocês terão

“Que mérito vocês terão, se amarem aos que os amam? Até os ‘pecadores’ amam aos que os amam. E que mérito terão, se fizerem o bem àqueles que são bons para com vocês? Até os ‘pecadores’ agem assim. E que mérito terão, se emprestarem a pessoas de quem esperam devolução? Até os ‘pecadores’ emprestam a ‘pecadores’, esperando receber devolução integral.”
Lucas 6:32-34
Para Jesus repetir algo três vezes em seguida significa que é muito importante!


Jesus não se refere a “pecadores” aqui com o desprezo dos fariseus.
Ele reconhece que há pessoas que de fato não querem nada com Deus.

Mas, até entre estas pessoas se encontra a virtude de tratar bem parentes e “companheiros”.
O corporativismo entre autoridades corruptas e a honra entre ladrões são conhecidos.
Amar aqueles que nos amam ou de quem esperamos receber alguma coisa em retorno é natural. É lógico.

O discípulo que apenas faz isso é igual a qualquer pagão.

Se sua meta for de ser igual à maioria da sua espécie, então basta isso.
Mas, será que foi para isso que fomos chamados – viver igual a qualquer pagão?

Um abraço,

IIGD Piraquara

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Como vocês querem que os outros lhes façam



“Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles.”
Lucas 6:31



Nos versículos anteriores Jesus tratou da reação do discípulo quando é maltratado, até sofrendo agressão física ou assalto.


Ele não reage, porque não é a maldade deste mundo que determina seus pensamentos e reações, e sim, o exemplo e as palavras de Jesus.

Agora, o Mestre revela como o discípulo age - sempre a favor dos outros.

Basta uma diretriz: o que o discípulo queria para ele mesmo.
Será que é tão simples assim? É. Tão simples e tão difícil.
Quem são os "outros"? A começar, são os que odiaram, amaldiçoaram e maltrataram o discípulo.
Há muitas desculpas para negar a estes "outros" o que buscamos para nós.
Há profundos sentimentos de nosso lado.
Mas, à medida em que seguimos este princípio sem reservas ou exceções, o Reino de Deus avança em nossas vidas.
Você se sente vítima, alvo de injustiça?
Dá vontade de dar as costas àqueles que lhe maltrataram?
Frank Crane disse "A 'regra dourada' não tem valor algum se você não perceber que chegou a sua vez de agir."
Segundo Jesus, você já sabe o que fazer.

Um abraço,

IIGD Piraquara
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores