terça-feira, 21 de junho de 2011

Mas os beijos do inimigo são enganosos

“... mas os beijos do inimigo são enganosos”. Provérbios 27:6


O beijo no rosto era um modo de saudar usado no Oriente desde os tempos dos patriarcas, era comum entre pessoas do mesmo sexo e, em ocasiões especiais, entre pessoas de sexo diferente.

Pais e mães beijavam os filhos, os filhos beijavam os pais, irmãos, entre si, amigos e companheiros, entre si.
E em tempos mais recentes, os antigos cristãos da Igreja Primitiva se saudavam com o beijo de irmão (Rm 16.16; 1 Pe 5.14).

O beijo, até os dias atuais é conhecidamente uma demonstração e um sinal de Amor.
Mas se todos sabemos que o beijo significa Amor, porque então seria necessário que a Palavra de Deus nos falasse a respeito dos beijos do inimigo, uma vez que não há Amor, nem Afeto entre inimigos?
Isso porque Deus sabe que o nosso inimigo é mentiroso (João 8:44) e corremos o risco de sermos seduzidos pelas suas mentiras, estando sujeitos às suas tentações.

Temos que cuidar e vigiar os nossos passos, com quem estamos convivendo e nos relacionando.
Não devemos confiar no homem por mais verdadeiro que pareça, o Senhor Deus também nos alerta acerca disso em Jeremias 17:5 “Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!”

Deus aqui nos alerta para cuidar com aqueles que aparentemente se fazem de amigos para roubar a nossa benção.

Também não devemos esquecer que a primeira parte de Provérbios 27:6 nos fala a respeito da repreensão e de correção. Quando não aceitamos que nosso Senhor nos corrija, facilmente vamos tentar nos apoiar no homem, e então enganados, aceitamos os “beijos” do inimigo.

Precisamos, pois, atentar para a Palavra do Senhor e nos afastar das propostas malignas.

Lembre-se, Jesus foi traído com um beijo de alguém muito próximo (Mateus 26:49).

Um abraço,

IIGD Piraquara
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores